Junho, 5

Lembro que quando eu era adolescente sempre tinha gente lá em casa, amigo, amiga, gente que virava irmão, outros com prazo de validade, fato é que sempre aparecia alguém perguntando: “Tamara tá aí?”.

Meu pai sempre dizia que era muito feliz porque eu era muito amada e tinha muitos amigos.

Quando eu ingressei na minha vida profissional, meu pai passou a dizer: “Se comporta ou esse povo não vai te aguentar!”, depois de algum tempo ele mudou o discurso: “Eu sou impressionado como esse povo te aguenta!”.

Quando eu conheci meu esposo o discurso era o mesmo, e depois mudava.

Quando casei e mudei de igreja, lembro dele falar um dia: “Eu tenho uma dívida de gratidão com esse povo, eles cuidam muito bem da minha filha, eles realmente te amam.”

Mudei de cidade e ele me fez prometer que ia falar menos, que ia me comportar, caso contrário o povo não ia me suportar. Hoje, quando falo do meu relacionamento no novo ambiente, ele volta a dizer: “Eu não sei mesmo como esse povo te aguenta!”.

Fato é que durante toda a minha vida ele sempre afirmou ser feliz porque eu sou muito amada.

Não falei tudo isso pra dizer que sou legal ou muito querida, mas pra dizer de como eu me sinto: amada.

Há um amor que pulsa, que impulsiona, que me move, que me sustém: o amor de Deus.

Há um amor que me ensina, que me conduz, que me orienta e não me deixa esquecer de quem eu tenho aqui: o amor da minha família.

Há um amor que me aquece, me consola, me ajuda a melhorar e acredita em mim: o amor do meu esposo.

Há um amor que me alegra, que me incentiva, que me acolhe, me faz rir e chorar, que acredita mesmo que eu vou autografar livros, um amor que me ama mesmo eu sendo uma péssima pessoa: o amor dos meus amigos.

Não dá pra se sentir menos do que amada nesse universo de amor!

E é bem assim que eu me sinto, porque eu sou consciente de quem eu sou, de quem eu tenho, de quem eu dependo e de que o que eu não tenho, eu não preciso. Além de tudo, por tudo o que tenho ganhei muito mais do que pedi, muito mais do que poderia merecer.

Acho que se a gente fosse cheio dessas certezas haveria menos ódio, menos tempo pra reclamar, menos motivos pra se irritar, mais dias de sol e mais sorrisos até nos dias de chuva. Se a gente fosse consciente de tanto amor, teríamos menos pessoas carentes e consequentemente menos gente triste e fingida, se soubéssemos o quanto somos amados, amaríamos mais, sorriríamos mais, compartilharíamos mais, alegraríamos mais a vida do outro, agradeceríamos mais.

Diante disso tudo, o mundo seria um lugar bem mais legal de se viver, você não acha? Talvez a gente não possa mudar mesmo o mundo, as pessoas, o sistema, mas a gente pode ser diferente e tentar fazer dessa diferença algo positivo e significante na vida de alguém. Experimente começar com as pequenas coisas, com sutis gentilezas, com sorrisos sinceros e “bons dias” alegres, a mudança que você quer ver deve começar em você.

Para além do “Brasil que eu quero”, para além das fronteiras do Brasil, do seu trabalho, do seu ministério, da sua escola, do seu quarto você pode querer ser amor, sentir amor, espalhar amor.

Você pode.

Então seja.

Então faça.

Então viva.

Talvez esse texto seja sobre o amor, mas tem muita gratidão aqui. Em cada linha, por trás de cada palavra, subtendido em cada parágrafo. Há muita gratidão aqui. Então falamos de amor e gratidão, daí vemos que Deus não precisa ser exposto na vitrine da nossa vida pra ser sentido, percebido e evidenciado. Ele é todo esse texto e você talvez nem se deu conta! Ele é todo o amor que tem aqui, cada palavrinha sobre o amor aprendi e escrevi percebendo e sentido o quanto Ele me ama. Isso é louco né? Mas é real. Todo amor, toda graça, toda alegria, absolutamente tudo vem dEle, é sobre Ele, é para Ele!

Eu sou toda a gratidão que tem aqui. Cada palavra sobre gratidão aprendi quando passei a enxergar que não mereço nada do que eu tenho, mas ainda assim eu tenho. Não sei quando começou, acho que desde o dia que apareci nesse mundo, mas acho legal ser grata, reconhecer e agradecer por todas as coisas. Faço isso todos os dias, indiretamente, sutilmente, claramente.

E na verdade esse texto não é sobre mim, ou sobre você, mas para a gente. Eu escrevo para pessoas, sobre pessoas e também para mim, há muitas verdades aqui que eu não posso esquecer.

Sobretudo não posso esquecer:

⁃ Deus é bom. Sempre bom.

⁃ O amor vence os medos, o conformismo, o mal, a tristeza, a mentira, a ingratidão.

⁃ A gente segue aprendendo, todos os dias, a todo instante.

⁃ As coisas simples são as mais valiosas.

⁃ Ser grato demonstra o quão consciente somos do que temos e de quem somos.

⁃ Ser de verdade é sempre o melhor jeito de ser.

⁃ Just know, that wherever you go. No, you’re never alone. You will always get back home.

Então, hoje a gente comemora o dia que eu nasci, acho que já cheguei falando, por isso escrevo tanto!

Se você leu até aqui, parabéns pra você, ou você gosta do que escrevo, ou é muito curioso. De qualquer modo, parabéns!

Obrigada pessoas queridas da minha vida, todo dia com vocês é um aniversário pra mim. Todo dia.

Parabéns pra gente que tem amor e gratidão, e se tem um ao outro nessa vida louca e maravilhosa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s