amor, amigo

quando eu era criança meu pai dizia: “só casa com minha princesa quem amar ela mais do que eu.”

 

assim como os melhores pais são sempre os nossos, os maiores amores também.
você chegou e me amou tão grande, tão profundo, tão sincero, tão gentil, tão real, tão natural que eu não senti diferente do amor que tive a vida inteira, mas senti somando, crescendo, transbordando, completando.
você foi aquela música do Roberto que começa como esse parágrafo, a brincadeira mais séria que me aconteceu, e virou aquele 20 de julho lindo, infantil e alegre de 2013; você foi o cuidado absurdo com a minha comida, minhas manias e meus medos; você foi o estímulo para os meus textos, para o meu blog, para os meus talentinhos tímidos e medrosos; você chegou e foi verão intenso e aventureiro, e, quando de repente você foi inverno, eu aprendi a me aquecer na esperança de outra estação, eu não escolhi esperar (não faz meu tipo, rs), eu aprendi a esperar.
esperei seu amor estar pronto, seus medos vencidos, suas dúvidas restritas, seus testes concluídos, sua certeza latente, sua coragem naquele 1o de abril, seu sorriso naquele 20 de julho, sua presença em todos os meus dias.
eu prometi naquele dia ser tão boa pra você quanto você é pra mim, eu tento, mas com toda antipatia você ainda consegue estar à minha frente. esse é o lance da vida a dois: querer ser sempre melhor que o outro em fazê-lo feliz e grato!
nosso dia 20 é também dia do amigo, dia da nossa amizade faceira e meio nerd que deu início à esse lance todo de amor; dia de um monte de gente legal e parceira que foi comer algodão doce com a gente e tem feito nossos dias tão coloridos quanto nossa cerimônia; que melhor dia para dizer sim à um amor que o dia do amigo? porque todo amor começou amigo, porque todo amor tem que se manter amigo, sincero, divertido e essencial.

amor que de tão leve e descontraído se torna idiota, bobo e infantil. Sem malícia, sem noção, hiperbolicamente fenomenal, inexoravelmente perfeito, simetricamente proporcional, extremamente singelo, significantemente especial, na medida exata, complexo, estranho, diferente, único.

Afinal, quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?

 

feliz #20dejulho ;
feliz dia, meu amigo;
feliz, todos os dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s