Dupla

Algumas coisas simplesmente não acontecem, ou acontecem da forma errada.
A gente sente e encomenda um sentimento igual, mas não funciona assim, a gente aprende.
Algumas coisas simplesmente precisam de um fim.
Algumas conversas nunca serão fáceis, mas precisam acontecer.

A: Queria conversar.
B: Já estamos. Pode continuar.
A: Ouvi uma frase que dizia: “Percebi que nós somos uma ótima dupla, mas não somos um par.”
B: “Que graça tem um dueto sem par?”
A: 😳
B: Que foi? Também ouço coisas.
A: Nada. Eu citei um filme, ia perguntar tua opinião.
B: Citei uma música. Achou que eu estava dando outro sentido para a frase?
A: Não, não faz sentido.
B: Na verdade, nada que envolva essa conversa agora, faz.
A: Acho que uma parte de mim queria que fosse diferente.
B: Não acredito mais.
A: Queria não sentir, na verdade queria sentir diferente. Queria corresponder.
B: É passado. O verbo, o desejo.
A: Não foi isso o que eu quis dizer, você está sempre distorcendo as coisas. Parece que não entende o que eu falo.
B: Eu entendo, não compreendo as vezes, mas estou certo quase sempre.
A: Tá vendo? Eu nunca sou levada em consideração, eu sempre estou errada.
B: Eu te considero, tanto que esqueci de mim por longos meses pra viver por você.
A: Também não é assim. Eu não pedi nada. Somos amigos.
B: Há coisas que não precisa pedir. Somos amigos.
A: Você pode ignorar, mas eu quis mesmo que fosse diferente. Você é importante, o que nós temos é importante pra mim, queria que fosse pra você. Ao menos que fosse suficiente.
B: O que nós temos?
A: A amizade, a cumplicidade, o carinho.
B: É importante, é suficiente.
A: Tem certeza? Você fala sério?
B: “As paixões são pra si mesmas, não são pra mais ninguém. ”
A: Não quero conversar entre códigos.
B: Não quero conversar.
A: Você não pode agir desse jeito, somos adultos, precisamos dessa conversa.
B: Precisamos de mudança. Não somos uma dupla, não somos um par, não estamos na arca de Noé apesar de parecer dilúvio pra mim, não somos nada do que parece, não somos nada do que queremos. Nós simplesmente não somos, entende? Não mais!
A: Então é isso?
B: Outro dia. Outra hora.
A: Eu encontrei um par.
B: …
A: Você não vai falar nada? Pelo amor de Deus, fala alguma coisa! Você é meu amigo, sua opinião é importante.
B: Sou seu amigo. Você tem um par. Ponto.

Se eu pudesse escolher, seria você.
Seria o romance perfeito, a história mais cômica e momentaneamente trágica que contaríamos.
Seria diferente, especial, singelo, o romance clássico e atemporal.
Se eu pudesse corresponder.
Se eu pudesse.
Queria que soubesse que eu tentei, eu esperei, achei que as coisas mudariam, que o tempo resolveria.
Queria que soubesse que eu amo você, com todos os seus defeitos e suas inúmeras qualidades, mas não é suficiente.
Não é como você merece.
Não é como você precisa.
Não é como você esperava.
Não é o sentimento que você encomendou.
Agora eu aprendi.

Compreendi que algumas conversas acontecem, mas nunca são suficientes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s