Avesso

Tantas afirmações, obrigações, discussões e no fim ficamos eu e você, aqui e aí, separados por orgulho, precipitação, indecisão; juntos por
palavras, pela saudade, pela ausência. Seria cômico se não fosse trágico. (clichê)

Eu quis ir embora, quis sair daqui, fugir pra longe de tudo que me remetesse a lembrança do quanto fui feliz ao seu lado, do quanto me irritei e me feri por sua causa, do quanto você se fez presente em minha vida no último ano. Gritei, xinguei, chorei, clamei a Deus, chorei de novo, amaldiçoei o dia em que te conheci, me arrependi, chorei, lembrei, revivi, ri. Quis te ver sofrer, sentir minha falta, chamar por mim, mas percebi que mesmo do outro lado do mundo eu estaria sofrendo, sentindo, chamando assim como você, já que quando se cultiva um sentimento por alguém consequentemente se um é atingido de alguma forma o outro também vai ser. Desisti.

Inútil tentar te esquecer, deixar de te querer, de te amar, de sentir saudades dos seus beijos, do seu abraço, do seu toque, do seu cheiro, do seu sorriso, da sua ‘idiotice’. Inútil negar que minha vontade é ficar ao seu lado, mesmo que nossos sonhos sejam diferentes, mesmo tendo que abrir mão deles pra estar contigo. Inútil tentar não me importar, não perguntar. Inútil tentar tirar da cabeça o que o coração se recusa abrir mão. (clichê+1)

E mesmo cansada, exausta de toda a situação, de tudo o que veio a nos acontecer, mesmo perdida em meio a tudo isso, eu não consigo deixar de gostar até mesmo dos seus defeitos que dirá então do que me fez ficar ao seu lado até aqui, rs. Você é um completo idiota, inconsequente, irresponsável, mas me abraça e diz que vai dar tudo certo. Você é chato, bobo e lerdo, mas beija meu rosto e diz que eu sou linda mesmo com olho inchado e o cabelo horrível. Você é a pessoa mais inteligente que conheço, tem conhecimento amplo sobre vários assuntos e ainda assim consegue ser mestre na arte de me conhecer, eu odeio isso. Você é exatamente como eu esperei que fosse, imperfeito, mas perfeito pra mim, te mataria por isso. Eu me sinto uma perfeita idiota escrevendo tudo isso, mas a verdade é que você me faz feliz de uma forma única, me arranca sorrisos do simples “Bom Dia” até o “Não é facil não, viu?” me fazendo acreditar mais uma vez que simplicidade=felicidade, sempre. Você é a criança que com quem sempre quis brincar, o moleque com quem sempre quis aprontar, o amigo com quem sempre quis conversar, o homem com quem sempre quis compartilhar tudo isso.

Ignorar quando preciso, precisar quando não quero.

Queria saber o que você faria se te confessasse que nas entrelinhas sempre disse que te amo.

17/03/2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s